Material Interessante Que Recebemos Por Meio Dos Nossos Canais De Comunicação

O cuidado da casa comum

A nossa casa comum está sendo saqueada, devastada, vexada impunemente. A covardia em denfendê-la é um pecado grave. Papa Francisco.

Natureza


Delícia de texto:

LÍNGUA PORTUGUESA 
Não é à toa que os estrangeiros acham nossa língua muito difícil. Como a língua portuguesa é rica em expressões!
Veja o quanto o vocabulário "alimentar" está presente nas nossas metáforas do dia-a-dia. Aí vai.
Pergunta:
- Alguém sabe me explicar, num português claro e direto, sem figuras de linguagem, o que quer dizer a expressão "no frigir dos ovos"?
Resposta:
Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. 
Como rapadura é doce mas não é mole, nem sempre você tem idéias e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa. E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo às favas. Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo.
Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher linguiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos. Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote. Mas como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha, são escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão.
Há também aqueles que são arroz de festa, com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese...etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor que sai com cara de quem comeu e não gostou. O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente. Por outro lado se você tiver os olhos maiores que a barriga o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço. 
Aí, não adianta chorar sobre o leite derramado porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha, não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana, afinal pimenta nos olhos dos outros é refresco...A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas. Mas quem não arrisca não petisca, e depois quando se junta a fome com a vontade de comer as coisas mudam da água pro vinho.
Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha, que no frigir dos ovos a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque o que não mata engorda.
Entendeu o que significa no frigir dos ovos?


METE O SACA-ROLHA
By
Luiz Victor Val Myszkowski
Noutro dia, estava eu com meu amigo, num restaurante, e vimos um vinho daqueles bons e caros. O garçom logo perguntou se queríamos daquela safra pra acompanhar o pedido. E o meu amigo, sem pensar duas vezes, disse
“Mete o saca- rolha!”.
Depois de dar boas risadas com aquela expressão, ele me contou que a frase servia pra vida. Que, tempos atrás, tinha perdido um grande amigo, que tinha uma grande adega com vinhos caríssimos, e deixava os vinhos lá, sem abrir. Certo dia, ele morreu num acidente e a esposa acabou se casando com um cara mais jovem, que consumiu toda a adega em tempo recorde.
Depois disso, meu amigo começou a perceber quantas vezes na vida ele desperdiçava oportunidades, deixando pra depois. Sendo que o depois pode nem existir.
Fiquei refletindo sobre isso e hoje quero lhe perguntar: Quantas oportunidades você desperdiça se preparando, sem entrar em campo? Quantas roupas deixou de usar esperando a ocasião especial? Quantas atitudes deixou de tomar, acreditando que sempre existiria a semana que vem, adiando seus sonhos?
Por isso, a dica é “Mete o saca-rolha!”.
Abra a garrafa de sonhos, tome as atitudes que precisa tomar, pare de procrastinar achando que a vida é eterna e que você vai ter todo o tempo do mundo pra tentar, cair, errar e seguir em frente.
“Mete o saca-rolha!” é uma filosofia de vida pro meu amigo, que diz que nunca viu carro-forte seguindo carro funerário. Pra mim, é uma frase inspiradora.
Não deixe os bons vinhos pra amanhã. Não espere pra agir se a hora é agora e não desperdice seu tempo acreditando que amanhã dá pra fazer diferente.
O que a gente tem é hoje.
Então, mete o saca-rolha e segue em frente!!!!


Em 2015, duas semanas antes do Dia Mundial do Meio Ambiente, o Papa Francisco, "servo dos servos de Deus", lançou a Encíclica Laudato Si - sobre o cuidado da casa comum. De maneira incomum, ele lembrou que "a natureza não é algo separado de nós" e que "cada organismo é bom e admirável em si mesmo, por ser criatura de Deus". Destacou que a crise social e a ambiental são uma só e que é preciso repensar toda a maneira de produzir, distribuir e consumir, para que não predominem os valores do lucro e "a busca egoísta de uma satisfação imediata", deixando, às próximas gerações, "demasiadas ruinas, desertos e lixo". O Brasil, com sua rica biodiversidade e preciosas reservas de água doce, não pode continuar devastando esses bens, que são de todos.

Chico Alencar, autor de Cântico das criaturas, juventude e ecologia do mundo. Ed. Vozes


Organizando o Natal

Alguém observou que cada vez mais o ano se compõe de 10 meses; imperfeitamente embora, o resto é Natal. É possível que, com o tempo, essa divisão se inverta: 10 meses de Natal e 2 meses de ano vulgarmente dito. E não parece absurdo imaginar que, pelo desenvolvimento da linha, e pela melhoria do homem, o ano inteiro se converta em Natal, abolindo-se a era civil, com suas obrigações enfadonhas ou malignas. Será bom.
Então nos amaremos e nos desejaremos felicidades ininterruptamente, de manhã à noite, de uma rua a outra, de continente a continente, de cortina de ferro à cortina de nylon — sem cortinas. Governo e oposição, neutros, super e subdesenvolvidos, marcianos, bichos, plantas entrarão em regime de fraternidade. Os objetos se impregnarão de espírito natalino, e veremos o desenho animado, reino da crueldade, transposto para o reino do amor: a máquina de lavar roupa abraçada ao flamboyant, núpcias da flauta e do ovo, a betoneira com o sagüi ou com o vestido de baile. E o supra-realismo, justificado espiritualmente, será uma chave para o mundo.
Completado o ciclo histórico, os bens serão repartidos por si mesmos entre nossos irmãos, isto é, com todos os viventes e elementos da terra, água, ar e alma. Não haverá mais cartas de cobrança, de descompostura nem de suicídio. O correio só transportará correspondência gentil, de preferência postais de Chagall, em que noivos e burrinhos circulam na atmosfera, pastando flores; toda pintura, inclusive o borrão, estará a serviço do entendimento afetuoso. A crítica de arte se dissolverá jovialmente, a menos que prefira tomar a forma de um sininho cristalino, a badalar sem erudição nem pretensão, celebrando o Advento.
A poesia escrita se identificará com o perfume das moitas antes do amanhecer, despojando-se do uso do som. Para que livros? perguntará um anjo e, sorrindo, mostrará a terra impressa com as tintas do sol e das galáxias, aberta à maneira de um livro.
A música permanecerá a mesma, tal qual Palestrina e Mozart a deixaram; equívocos e divertimentos musicais serão arquivados, sem humilhação para ninguém.
Com economia para os povos desaparecerão suavemente classes armadas e semi-armadas, repartições arrecadadoras, polícia e fiscais de toda espécie. Uma palavra será descoberta no dicionário: paz.
O trabalho deixará de ser imposição para constituir o sentido natural da vida, sob a jurisdição desses incansáveis trabalhadores, que são os lírios do campo. Salário de cada um: a alegria que tiver merecido. Nem juntas de conciliação nem tribunais de justiça, pois tudo estará conciliado na ordem do amor.
Todo mundo se rirá do dinheiro e das arcas que o guardavam, e que passarão a depósito de doces, para visitas. Haverá dois jardins para cada habitante, um exterior, outro interior, comunicando-se por um atalho invisível.
A morte não será procurada nem esquivada, e o homem compreenderá a existência da noite, como já compreendera a da manhã.
O mundo será administrado exclusivamente pelas crianças, e elas farão o que bem entenderem das restantes instituições caducas, a Universidade inclusive.
E será Natal para sempre.
Ah! Seria ótimo se os sonhos do poeta se transformassem em realidade.

Texto extraído do livro "Cadeira de Balanço", Livraria José Olympio Editora - Carlos Drummond de Andrade




O QUE FALAR DESSA SITUAÇÃO

Olá ..., hoje um adolescente infrator me deixou sem ação e reação diante dele! Estava eu na delegacia fazendo mais uma cobertura de notícias policiais quando me deparei com um adolescente de 14 anos sentando esperando para ser autuado por porte ilegal de arma de fogo. Olhei para ele e pensei, mais um moleque que não fica preso, então nem vou perder meu tempo, mas enquanto aguardava uma outra ocorrência que estava a caminho da delegacia me aproximei dele e como as vezes faço comecei a dar conselhos para ele,
- Sai dessa vida rapaz, você vai morrer, a vida das drogas e do crime não compensa."
Foi quando ele que até então estava calado olhou bem para mim e disse:
- Seu Álisson, esse papo do senhor eu já cansei de ouvir, estava armado porque vendo droga, e ganho muito fazendo isso, mas eu antes de ser vendedor eu trabalhava numa oficina e sabe o que fizeram ? , denunciaram o dono da oficina porque eu estava trabalhando lá, ele me pagava legal, eu tinha minhas coisas, meu tênis, tinha tudo... Mas ele teve que me mandar embora para não ir preso, mas acho que ele está até hoje respondendo na justiça por ter dado emprego a um menor . Depois eu fui trabalhar na feira da Avenida Antonio Sanches, trabalhei 07 meses e sabe o que aconteceu lá ? A mesma coisa que na oficina, tive que sair. Não sei quem é meu pai e minha mãe é uma coitada e eu tentei seu Alisson trabalhar honestamente, e até trabalhava e estudava direito, mas não deixaram e achei no tráfico o sustento meu e da minha casa, então seu Alisson, guarda seus conselhos para esses safados que vocês votam e que acham que menor não pode trabalhar, mas pode roubar, matar e traficar, entrei nessa vida porque sem trabalhar quero um tênis mas não posso, quero comer um sanduíche no Bobs mas também não posso, quero ir no cinema também não posso, então já que não posso trabalhar como gente, vou traficar, pelo menos assim tenho dinheiro .
Tive que ouvir isto de um garoto de 14 anos estragado pelo sistema. Logo chamaram ele e não podemos continuar conversando.
Fiquei mudo e sai calado, sei que há vítimas do sistema, mas foi um garoto de 14 anos que me calou mostrando-me o quanto nós, com nossas escolhas políticas erradas , estamos acabando com a juventude. Por causa dessas quadrilhas que colocamos e ainda mantemos no poder é que jovens estão matando, roubando e traficando... Ele disse: "Não posso trabalhar, mas posso roubar, traficar e matar!" Esse é o futuro que estamos construindo nesse país! Senhores eleitores, leiam isso e se envergonhem do Brasil que você está deixando para essa juventude!


Bela reflexão

"Mestre, queria lhe perguntar algo: como faço para não me aborrecer com as pessoas?
Algumas falam  demais, outras são maldosas e invejosas. Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas e sofro com as que caluniam".
"Viva como as flores", advertiu o mestre. "Mas como? Como é viver como as flores?", perguntou a jovem.
"Repare nestas flores" continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim.
"Elas nascem no esterco, entretanto são puras e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas. Não é sábio permitir que os erros e defeitos dos outros a impeçam de ser aquilo que o Universo espera de você".
Precisamos entender que os defeitos deles, são deles e não seus... Se não são seus, não há razão para aborrecimentos.
Exercitar a virtude é rejeitar todo mal que vem de fora. Isso é viver como as flores.
Você não precisa focar nos erros alheios, justificando assim sua insatisfação com a vida e as circunstâncias.
Tire a boa parte do adubo que chega até você! Seja uma flor cujo aroma é agradável aos que estão ao seu redor.
Exale esse aroma...
Não deixe que o seu foco esteja no adubo...
Belíssima e sábia reflexão. Um exercício e desafio para todos nós....


O ser humano possui uma triste tendência à preocupação, ou seja, a pré-ocupar sua mente com os problemas que estão por vir. A vida em sociedade está realmente complicada, porém, um grande número de pessoas permite que sua vida individual se deixe envolver demasiadamente nesta complicação social. É preciso que cada um busque enfrentar estas dificuldades sem maiores desgastes para sua vida. Com a mente ligada nos vários momentos da vida diária, além de eliminar o condicionamento de pré-ocupá-la, o indivíduo desenvolve um senso de si mesmo. A mente saudável, plenamente consciente do que se passa ao seu redor, não dá lugar a preocupações, trazendo à pessoa tranquilidade para bem viver a sua vida. Dra. Ely Barreto, Psicóloga


Piadas

Mariazinha volta de um encontro com o novo namorado e comenta com a amiga:

-Puxa! Que sujeito! Tive que dar três tapas no rosto dele.

-Não diga! O que foi que ele fez?!

- Nada. Bati para ver se estava acordado.


O funcionário de uma empresa vai até o banco para sacar seu salário e percebe que veio 500 reais a mais... No mês seguinte volta ao banco para sacar novamente o salário  e percebe que faltam 500 reais. Ele vai reclamar ao patrão:

- Meu salário veio com 500 reais a menos! Por que?

O patrão responde:

- Mês passado foram 500 reais a mais, e você não veio aqui reclamar!

O funcionário, com cara de ofendido, responde:

- É, um erro eu perdoo. Mas dois já é demais, né?


O garoto chega em casa e diz ao pai:

- Hoje aprendi na escola o que é um ladrão.

- E o que é um ladrão, meu filho?

- Se eu pego uma nota de R$ 100,00 do seu bolso, pai, o que eu sou?

E o pai, mais que depressa...

- Um mágico!


Trechos do livro


            "O Arroz de Palma", de Francisco Azevedo.

"Família é prato difícil de preparar.
São muitos ingredientes.
Reunir todos é um problema...
Não é para qualquer um.
Os truques, os segredos, o imprevisível.
Às vezes, dá até vontade de desistir...
Família é prato que emociona.
E a gente chora mesmo.
De alegria, de raiva ou de tristeza.
O pior é que ainda tem gente que acredita na receita da família perfeita.
Bobagem!
Tudo ilusão!
Família é afinidade, é à Moda da Casa.
E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito.
Há famílias doces.
Outras, meio amargas.
Outras apimentadíssimas.
Há também as que não têm gosto de nada, seria assim um tipo de Família Dieta, que você suporta só para manter a linha.
Seja como for, família é prato que deve ser servido sempre quente, quentíssimo.
Uma família fria é insuportável, impossível de se engolir.
Enfim, receita de família não se copia, se inventa.
A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia a dia.
Muita coisa se perde na lembrança.
Aproveite ao máximo.
Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete!

Família:

Feliz quem tem e sabe curtir, aproveitar e valorizar..."          
Família é projeto de Deus!
Então...

Amem-se,

Perdoem -se,

Aceitem-se,

Tolerem-se
e vivam como se hoje fosse o último dia que vocês vão estar com a sua família.


Reflexão

Lembre-se...
 
Seu NASCIMENTO foi através de outros;
 
Seus primeiros BANHOS foram dados por outros;
 
Seu NOME foi dado por outros;
 
Você foi EDUCADO por outros;
 
A sua RENDA, ainda que indiretamente, vem por meio de outros;
 
Se você quer se DIVERTIR, ou faz uma viagem, vai a um show, cinema, teatro, restaurante, estádio, são os Outros que te servirão;
 
Quando você ADOECE é cuidado por outros;
 
O RESPEITO a si é dado por outros;
 
Seu ÚLTIMO BANHO será dado por outros;
 
O seu FUNERAL será realizado por outros;
 
E os PERTENCES e PROPRIEDADES serão herdados por outros.
 
Então, questiono-me por que motivo alguns de nós deixamos o nosso EGO, nosso TEMPO, nossa CARREIRA, nosso DINHEIRO e nossas CRENÇAS nos levarem a menosprezar o valor dos OUTROS na nossa vida, sendo que, na verdade, os nossos feitos envolvem tanto os Outros.
 
É hora de todos nós simplificarmos, reajustarmos e modificarmos nossa percepção da Vida e sobre a Vida, a fim de nos tornarmos mais amorosos, mais humildes e vivermos pacificamente com os OUTROS;
 
Porque nesta vida precisamos uns dos outros em todo o tempo.
 
Tenhamos gratidão com o próximo!
 
Cada um de nós é O OUTRO DO OUTRO.
Vamos cuidar uns dos outros!


Eu sei que o sofrimento tem visitado o teu coração.
Não tenho muito o que dizer e é bom que seja assim.
Existem acontecimentos que não combinam com as palavras.
Foram feitos para o silêncio.
É neste momento que nós recorremos aos símbolos, às realidades que falam sem precisar dizer.
Trouxe flores...
Padre Fábio de Melo


10 pedidos ao Papai do céu:


1. Ao se levantar diga, JESUS EU TE AMO.
2. Ao sair de casa diga, JESUS VEM COMIGO.
3. Quando sentir vontade de chorar diga, JESUS ME ABRAÇA.
4. Quando se sentir feliz diga, JESUS EU TE ADORO.
5. Quando for fazer alguma coisa diga, JESUS ME AJUDA.
6. Tudo que fizer faça, EM NOME DE JESUS.
7. Quando se sentir derrotado diga, JESUS JÁ VENCEU.
8. Quando errar diga, JESUS ME PERDOA.
9. Quando se deitar diga, JESUS OBRIGADO.
10. Ah! Lembre-se que JESUS continua te amando, ontem, hoje, amanhã e sempre! Não existe amor maior que o de Jesus por seus Filhos!
Que Deus nos abençoe e nos cubra das suas ricas bênçãos!


 Sou

Para a mamãe: A mocinha!
Para o papai: A menininha!
Para a vovó: A inocente!
Para os primos: A insuportável
Para os amigos: A doida!
Para os desconhecidos: A metida!
Para os inimigos: Ela!
Para os admiradores: A linda!
Para os carinhosos: A princesa!
Para os incompreensíveis: A chata!

Para mim: Apenas uma pequena menina com sonhos de uma grande mulher tentando ser feliz no seu mundinho com seu jeitinho de ser...


COMO AS MULHERES DOMINARAM O MUNDO.


Conversa entre pai e filho, por volta do ano de 2031 sobre como as mulheres dominaram o mundo.
- Foi assim que tudo aconteceu, meu filho...
Elas planejaram o negócio discretamente, para que não notássemos Primeiro elas pediram igualdade entre os sexos. Os homens, bobos, nem deram muita bola para isso na ocasião. Parecia brincadeira.
Pouco a pouco, elas conquistaram cargos estratégicos: Diretoras de Orçamento, Empresárias, Chefes de Gabinete, Gerentes disso ou daquilo.
- E aí, papai?
- Ah, os homens foram muito ingênuos. Enquanto elas conversavam ao telefone durante horas a fio, eles pensavam que o assunto fosse telenovela. Triste engano. De fato, era a rebelião se expandindo nos inocentes intervalos comerciais. "Oi querida!", por exemplo, era a senha que identificava as líderes. "Celulite", eram as células que formavam a organização. Quando queriam se referir aos maridos, diziam "O regime".
- E vocês? Não perceberam nada?
- Ficávamos jogando futebol no clube, despreocupados. E o que é pior: 
Continuávamos a ajudá-las quando pediam. Carregar malas no aeroporto, consertar torneiras, abrir potes de azeitona, ceder a vez nos naufrágios. Essas coisas de homem.
- Aí, veio o golpe mundial?!?
- Sim o golpe. O estopim foi o episódio Hillary-Mônica. Uma farsa. Tudo armado para desmoralizar o homem mais poderoso do mundo. Pegaram-no pelo ponto fraco, coitado. Já lhe contei, né? A esposa e a amante, que na TV posavam de rivais eram, no fundo, cúmplices de uma trama diabólica. Pobre Presidente...
- Como era mesmo o nome dele?
- William, acho. Tinha um apelido, mas esqueci... Desculpe, filho, já faz tanto tempo...
- Tudo bem, papai. Não tem importância. Continue...
- Naquela manhã a Casa Branca apareceu pintada de cor-de-rosa. Era o sinal que as mulheres do mundo inteiro aguardavam. A rebelião tinha sido vitoriosa! Então elas assumiram o poder em todo o planeta. Aquela torre do relógio em Londres chamava-se Big-Ben, e não Big-Betty, como agora... Só os homens disputavam a Copa do Mundo, sabia? Dia de desfile de moda não era feriado. Essa Secretária Geral da ONU era uma simples cantora. Depois trocou o nome, de Madonna para Mandona...
- Pai, conta mais...
- Bem filho... O resto você já sabe.
Instituíram o Robô "Troca-Pneu" como equipamento obrigatório de todos os carros...
A Lei do Já-Prá-Casa, proibindo os homens de tomar cerveja depois do trabalho...
E, é claro, a famigerada semana da TPM, uma vez por mês...
- TPM???
- Sim, TPM... A Temporada Provável de Mísseis... E quando elas ficam irritadíssimas e o mundo corre perigo de confronto nuclear...
- Sinto um frio na barriga só de pensar, pai...
- Sssshhh! Escutei barulho de carro chegando. Disfarça e continua picando essas batatas...
Luis Fernando Verissimo


Aquele que muito quer corre o risco de nada ter, porque o empenho e o cuidado é que faz a realidade permanecer. O simples anda leve. Carrega menos bagagem quando viaja, e por isso reserva suas energias para apreciar a paisagem. O que viaja pesado corre o risco de gastar suas energias no transporte das malas. Fica preso, não pode andar pelo aeroporto, fica privado de atravessar a rua e se transforma num constante vigilante do que trouxe. 
A simplicidade é uma forma de leveza. Nas relações humanas ela faz a diferença. O que cultiva a simplicidade tem a facilidade de tornar leve o ambiente em que vive. Não cria confusão por pouca coisa; não coloca sua atenção no que é acidental, mas prende os olhos naquilo que verdadeiramente vale a pena.
Padre Fábio de Melo


A lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.
O filho se senta sozinho no topo de uma montanha durante toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.
Ele não pode gritar por socorro para ninguém.
Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.
Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.
O menino está naturalmente amedrontado...
Ele pode ouvir toda espécie de barulho...
Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.
Talvez alguns humanos possam feri-lo.
Os insetos e cobras podem vir picá-lo.
Ele pode estar com frio, fome e sede.
O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele não remove a venda.
Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.
Finalmente….
Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.
Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.
Nós também nunca estamos sozinhos!
Mesmo quando não percebemos, Deus está olhando para nós, 'sentado ao nosso lado'.
Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.
Moral da história:
Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele não esteja conosco.
Nós precisamos caminhar pela nossa fé, não com a nossa visão material.


"Sobre os felizes"


Existem pessoas admiráveis andando em passos firmes sobre a face da Terra. Grandes homens, grandes mulheres, sujeitos exemplares que superam toda desesperança. Tenho a sorte de conhecer vários deles, de ter muitos como amigos e costumo observar suas ações com dedicada atenção. Tento compreender como conseguem levar a vida de maneira tão superior à maioria, busco onde está o mistério, tento ler seus gestos e aprendo muito com eles.
De tanto observar, consegui descobrir alguns pontos em comum entre todos e o que mais me impressiona é que são felizes. A felicidade, essa meta por vezes impossível, é parte deles, está intrínseco. Vivem um dia após o outro desfrutando de uma alegria genuína, leve, discreta, plantada na alma como uma árvore de raízes que força nenhuma consegue arrancar.
Dos felizes que conheço, nenhum leva uma vida perfeita. Não são famosos. Nenhum é milionário, alguns vivem com muito pouco, inclusive. Nenhum tem saúde impecável, ou uma família sem problemas. Todos enfrentam e enfrentaram dissabores de várias ordens. Mas continuam discretamente felizes.
O primeiro hábito que eles têm em comum é a generosidade. Mais que isso: eles têm prazer em ajudar, dividir, doar. Ajudam com um sorriso imenso no rosto, com desejo verdadeiro e sentem-se bem o suficiente para nunca relembrar ou cobrar o que foi feito e jamais pedir algo em troca.
Os felizes costumam oferecer ajuda antes que se peça. Ficam inquietos com a dor do outro, querem colaborar de alguma maneira. São sensíveis e identificam as necessidades alheias mesmo antes de receber qualquer pedido. Os felizes, sobretudo, doam o próprio tempo, suas horas de vida, às vezes dividem o que têm, mesmo quando é muito pouco.
Eu também observo os infelizes e já fiz a contraprova: eles costumam ser egoístas. Negam que o sentimento do próximo possa ser tão importante quanto o deles mesmos. Reagem com irritação ao mínimo pedido. Não gostam de ter a rotina perturbada pelo outro. São sempre os donos da razão, são acima do bem e do mal, não conseguem saborear as pequenas coisas da vida, pois são eternos insatisfeitos.
O segundo hábito notável dos felizes é a capacidade de explodir de alegria com o êxito dos outros. Os felizes vibram tanto com o sorriso alheio que parece um contágio. Eles costumam dizer: estou tão contente como se fosse comigo. Talvez seja um segredo de felicidade, até porque os infelizes fazem o contrário. Tratam rapidamente de encontrar um defeito no júbilo do outro, ou de ignorar a boa nova que acabaram de ouvir. E seguem infelizes.
O terceiro hábito dos felizes é saber aceitar. Principalmente aceitar o outro, com todas as suas imperfeições. Sabem ouvir. Sabem opinar sem diminuir e sabem a hora de calar. Sobretudo, sabem rir do jeito de ser de seus amigos. Sorrir é uma forma sublime de dizer: amo você e todas as suas pequenas loucuras e imperfeições.
Escrevo essa crônica, grata e emocionada, relembrando o rosto dos homens e mulheres sublimes que passaram e que estão na minha vida, entoando seus nomes com a devoção de quem reza. Ainda não sou um dos felizes, mas sigo tentando. Sigo buscando aprender com eles a acender a luz genuína e perene de alegria na alma. Sigamos os felizes, pois eles sabem o caminho...

Socorro Acioli - Escritora


MARCAS DE BATOM NO BANHEIRO


Numa escola de elite em SP estava ocorrendo uma situação inusitada:
Meninas que usavam batom, todos os dias beijavam o espelho para remover o excesso de batom.
O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia.
Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as mesmas marcas de batom...
Um dia o diretor juntou o bando de meninas no banheiro e explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam.
Fez uma palestra de uma hora.
No dia seguinte as marcas de batom no banheiro reapareceram...
No outro dia, o diretor juntou o bando de meninas e o zelador no banheiro, e pediu ao zelador para demonstrar a dificuldade do trabalho.
O zelador imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho.
Nunca mais apareceram marcas no espelho! Moral da história:
Há professores e há educadores...
Comunicar é sempre um desafio!
Às vezes, precisamos usar métodos diferentes para alcançar certos resultados.
Por quê?
Porque a bondade que nunca repreende não é bondade: é passividade.
Porque a paciência que nunca se esgota não é paciência: é subserviência.
Porque a serenidade que nunca se desmancha não é serenidade: é indiferença.
Porque a tolerância que nunca replica não é tolerância: é imbecilidade.
O saber a gente aprende com os livros, a sabedoria se aprende com a vida.


INCÔMODO


A pessoa costuma colocar a mão so­bre o peito ou sobre o pescoço, aper­tar um pouco e dizer "alguma coisa está me angustiando, eu estou inco­modado". O escritor mineiro Abgar Renault (1901-1995) publicou um livro de poesias, em 1983, chamado A outra face da lua. Nele há um texto com um título que, em si, já mostra um pouco o seu peso, chama-se Ba­lada da irremediável tristeza. Nesse poema, ele foi fundo e escreveu: "Eu hoje estou inabitável", isto é, não caibo, não posso morar dentro de mim. Não é que eu não estou caben­do em mim de satisfação ou alegria, eu não estou cabendo em mim de incômodo, de irremediável tristeza, a ideia de não poder morar. Hoje eu preciso estar fora, eu não caibo, não posso me habitar.

Mario Sergio Cortella, autor de Pensar bem nos faz bem!, Ed. Vozes


Pessoas bem sucedidas têm duas coisas em seus lábios, "sorriso e silêncio". O sorriso para resolver o problema e o silêncio para evitar problemas. O açúcar e o sal podem ser misturados entre si, mas as formigas rejeitam o sal e levam apenas o açúcar. Selecione as pessoas certas na vida e torna a sua vida melhor e mais doce. Se você não consegue alcançar seus sonhos, mude seus caminhos, não o seu sonho. Lembre-se, as árvores mudam suas folhas e não suas raízes. Você nunca vai chegar ao seu destino se você parar e jogar pedras para cada obstáculo que aparece.


Quero voltar a  confiar!

Fui criado com princípios morais comuns: Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos, eram autoridades dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto. Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades… Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade… Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror… Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que meus netos um dia enfrentarão. Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos. Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos. Não levar vantagem em tudo significa ser idiota. Pagar dívidas em dia é ser tonto… Anistia para corruptos e sonegadores… O que aconteceu conosco? Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas. Que valores são esses? Automóveis que valem mais que abraços, filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano. Celulares nas mochilas de crianças. O que vais querer em troca de um abraço? A diversão vale mais que um diploma. Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete. Mais vale parecer do que ser… Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo? Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores! Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão! Quero a honestidade como motivo de orgulho. Quero a vergonha na cara e a solidariedade. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho-no-olho. Quero a esperança, a alegria, a confiança! Quero calar a boca de quem diz: “temos que estar ao nível de…”, ao falar de uma pessoa. Abaixo o “TER”, viva o “SER”. E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como um céu de primavera, leve como a brisa da manhã! E definitivamente bela, como cada amanhecer. Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases. Vamos voltar a ser “gente”. Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas. Utopia? Quem sabe?... Precisamos tentar… Quem sabe comecemos a caminhar transmitindo essa mensagem… Nossos filhos merecem e nossos netos certamente nos agradecerão!

Arnaldo Jabor


Caixinha de remédios

Uma mulher que trabalhava num banco havia muitos anos, caiu em desespero.
Estava depressiva, com esgotamento nervoso.
Seu médico, buscando um diagnóstico, lhe perguntou:
- Como se chama a jovem que trabalha ao seu lado no banco?
- Cíntia, respondeu ela, sem entender.
- Cíntia do quê?
- Eu não sei.
- Sabe onde ela mora?
- Não.
- O que ela faz?
- Também não sei.
O médico entendeu que o egoísmo estava roubando a alegria daquela pobre mulher.
- Posso ajudá-la, mas você tem que prometer que fará o que eu lhe pedir.
- Farei qualquer coisa! Afirmou ela.
- Em primeiro lugar, faça amizade com Cíntia.
Convide-a para jantar em sua casa.
Descubra o que ela está almejando na vida, e faça alguma coisa para ajudá-la.
- Em segundo lugar, faça amizade com seu jornaleiro e a família dele, e veja se pode fazer alguma coisa para ajudá-los.
- Em terceiro, faça amizade com o zelador de seu prédio e descubra qual é o sonho da vida dele.
- Em dois meses, volte para me ver.
Ao fim de dois meses, ela não voltou, mas escreveu uma carta sem sinal de melancolia ou tristeza.
Era só alegria!
Havia ajudado Cíntia a passar no vestibular.
Ajudou a cuidar de uma filha doente do jornaleiro.
Ensinou o zelador a ler e escrever, pois era analfabeto.
"Nunca imaginei que pudesse sentir alegria desta maneira!", escreveu ela.
Os que vivem apenas para si mesmos, nunca encontrarão a paz e a alegria, pois somos chamados por Deus para ser benção na vida dos outros.
Você já conhecia este segredo?
Pense nisso!!
"Muitas vezes nesta vida, nós somos o remédio da vida de outras pessoas! 
Quantas vezes você já curou uma pessoa com o seu abraço, uma visita inesperada, um sorriso, uma palavra, um carinho ou até mesmo, um e-mail enviado? Sua presença alegra a vida das pessoas, é um poderoso remédio contra a tristeza, a depressão, a dor e os sofrimentos da alma. Estar presente, na vida das pessoas que amamos é milagre poderoso, que pode transformar-se em processos de cura absoluta."


RESPOSTAS

Um jovem perguntou: "Vovô, como você viveu antes?
Sem tecnologia
Sem smartphones
Sem internet
Sem computadores
Sem tvs plasma ou led
Sem redes sociais
Sem drones
Sem celulares, tablets, notebook e laptop? "
O vovô respondeu: 
"Como a sua geração vive hoje:
Sem orações
Sem compaixão
Sem honra
Sem respeito
Sem vergonha
Sem esforço
Sem responsabilidades
Sem modéstia"
 "Nós, as pessoas nascidas no século passado, somos abençoadas.
Nossa vida é prova viva.
- Enquanto andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.
- Depois da escola, jogávamos até o anoitecer no bairro, sem medo.
- Nós brincávamos com amigos reais, não com amigos da internet.
- Se tivéssemos sede, beberíamos água da mangueira, não engarrafados.
- Não havia perigo de compartilhar o mesmo copo de suco com quatro amigos.
- Não ganhamos peso comendo junk food.
- Nem nos aconteceu nada caminhando com os pés descalços.
- Nunca usamos um suplemento para nos manter saudáveis.
- Nós costumávamos criar nossos próprios brinquedos e brincar com eles.
- Os pais não eram ricos. Eles davam amor, não coisas materiais.

- Não tínhamos telefone, celulares, DVD, Play Station, Xbox, jogos de vídeo, computadores pessoais, internet, redes sociais - nós tínhamos amigos reais.

- Nós visitávamos a casa de nossos amigos sem termos sido convidados e apreciávamos a refeição com eles.
- Os parentes viviam nas proximidades para aproveitar o tempo da família.
- Podemos estar em fotos em preto e branco, mas você pode encontrar memórias coloridas nessas fotos.
- Somos uma geração única e mais compreensiva, porque somos a última geração que ouviu seus pais, avós e tios. Também respeitamos mestres, professores e o padre de nossa paróquia.
Somos uma edição LIMITADA! Todos os dias somos menos. Aproveite enquanto você pode.
Aprenda conosco.
E tenha em mente que nos deu muito trabalho construir este país que, hoje, estão destruindo!


Neste Natal...

Quero que minha árvore seja feita de silêncios. Silêncios que façam intuir felicidade, contentamento, sorrisos sinceros.
Neste Natal não quero mandar cartões. Tenho medo de frases prontas. Elas representam obrigação sendo cumprida. Prefiro a gratuidade do gesto, o improviso do texto, o erro de grafia e o acerto do sentimento.
Neste Natal quero descansar de meus inúmeros planos. Quero a simplicidade que me faça voltar às minhas origens. Não quero muitas luzes. Quero apenas o direito de encontrar o caminho do presépio para que eu não perca o menino Jesus de vista.
Quero um natal sem Papai Noel.
Papai Noel faz muito barulho quando chega.
Ele acorda o menino Jesus, o faz chorar assustado.
Os pastores não. Eles chegam silenciosos. São discretos e não incomodam...Os presentes que trazem nos recordam a divindade do menino que nasceu.
São presentes que nos reúnem em torno de uma felicidade única.
Quero dividir com Maria os cuidados com o pequeno menino. Quero cuidar dele por ela. Enquanto eu cuido dele, ela pode descansar um pouquinho ao lado de José.
Descubram a beleza que as dispersões deste tempo insistem em esconder. Fechem as suas chaminés. Visita que verdadeiramente vale à pena chega é pela porta da frente.
Na noite de Natal fujam dos tumultos e dos barulhos. Descubram a felicidade silenciosa. Ela é discreta, mas existe! Eu lhes garanto!
Não tenham a ilusão de que seu Natal será triste porque será pobre. Há mais beleza na pobreza verdadeira e assumida que na riqueza disfarçada e incoerente.
E não se surpreendam, se com isso, a sua noite de Natal tornar-se inesquecível.

Pe Fábio de Melo


"Dizem que antes de um rio entrar no mar, ele treme de medo. Olha para trás, para toda a jornada que percorreu, para os cumes, as montanhas, para o longo caminho sinuoso que trilhou através de florestas e povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto, que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre. Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência. O rio precisa de se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entrar no oceano é que o medo desaparece, porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas de tornar-se oceano."
O ano passado não retornará, mas o novo é o nosso oceano possível!


Dizem que na vida, quem perde o telhado, ganha as estrelas.
As vezes vc perde o que não queria, mas conquista o que nunca imaginou.
Nem tudo depende de um tempo, mas sim de uma atitude.
O tempo é como um rio. Você nunca poderá tocar a mesma água duas vezes, porque a água que passou, nunca passará novamente.
Aproveite cada minuto de sua vida e lembre-se:
Nunca busque por boas aparências, porque elas mudam com o tempo. Não procure pessoas perfeitas, porque elas não existem.
Mas busque acima de tudo, um alguém que saiba seu verdadeiro valor.
Tenha 4 amores: Deus, a vida, a família e os amigos.
Deus porque é o dono da vida, a vida porque é curta, a família porque é única e os amigos porque são raros.


São Leão Magno ensina: “Nada é pequeno quando é grande o coração”


Muitas coisas acontecem diariamente na vida de cada um de nós, não existe uma fórmula mágica para nos livrarmos dos problemas, o mais importante é nunca desistir. Tudo passará, menos o amor. Quando acreditamos que o amor vem de Deus e está e está em cada coração, nossa força aumenta. Quem tem o amor de Deus no coração crê que todos os problemas e dificuldades que atravessam na vida vai passar. No Evangelho de São Mateus 10,38 lemos: “Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim”. Deus sabe das cruzes diárias que carregamos e nos pede: “suporte o ódio e a violência com fé; suporte o fracasso e a falta de compreensão com paciência, porque no final o amor é a força para você nunca desistir”. Vá em frente, não se canse de lutar diariamente por tua redenção, somos preenchidos do amor redentor, amor que nos faz suportar o mais penoso dos problemas. Coragem, tenha fé, tenha esperança.


Na vida, quase sempre consideramos importante àquilo que temos, o que fazemos, o quanto conseguimos conquistar. Acabamos considerando e avaliando as pessoas pelo que têm, e não pelo que são. E temos medo de sermos avaliados da mesma maneira. Mas não é possível que a vida se resuma a apenas isso. Existe algo mais profundo, que dá vida à vida: é o Espírito Santo, aquela nossa força que vem de dentro, que faz a diferença. No Evangelho de Lucas 12,34 lemos: “Pois onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração”. A passagem ensina que existe algo mais além do fazer, do realizar, do aparecer, do brilhar. As coisas verdadeiramente sublimes da vida, as que fazem brilhar os olhos e sorrir os lábios não podem ser comparadas com prestigio ou dinheiro; Deus nos oferece muito mais, oferece a paz, a alegria o Seu amor, basta que peçamos. Peça todos os dias que o Senhor envie seu Espírito e te faça compreender que mais do que ouro e prata, só Deus é a nossa força e o verdadeiro sentido da nossa vida.


Dizem que havia um cego sentado na calçada com um boné a seus pés e um
pedaço de madeira que, escrito com giz branco, dizia:
“Por favor, ajude-me, sou cego”.
Um publicitário da área de criação que passava em frente a ele parou e viu
umas poucas moedas no boné. Sem pedir licença, pegou o cartaz, virou-o,
pegou o giz e escreveu outro anúncio.
Voltou a colocar o pedaço de madeira aos pés do cego e foi embora. Pela
tarde o publicitário voltou a passar em frente ao cego que pedia esmola.
Agora, o seu boné estava cheio de notas e moedas.
O cego reconheceu as pisadas e lhe perguntou se havia sido ele quem
reescreveu seu cartaz, sobretudo querendo saber o que havia colocado.
O publicitário respondeu:
“Nada que não esteja de acordo com o seu anúncio, mas com outras
palavras”. Sorriu e continuou seu caminho.
O cego nunca soube, mas seu novo cartaz dizia:
“Hoje é Primavera, e não posso vê-la”.
Mudemos a estratégia quando não nos acontece alguma coisa que queremos...


Muitas coisas acontecem diariamente na vida de cada um de nós, não existe uma fórmula mágica para nos livrarmos dos problemas, o mais importante é nunca desistir. Tudo passará, menos o amor. Quando acreditamos que o amor vem de Deus e está e está em cada coração, nossa força aumenta. Quem tem o amor de Deus no coração crê que todos os problemas e dificuldades que atravessam na vida vai passar. No Evangelho de São Mateus 10,38 lemos: “Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim”. Deus sabe das cruzes diárias que carregamos e nos pede: “suporte o ódio e a violência com fé; suporte o fracasso e a falta de compreensão com paciência, porque no final o amor é a força para você nunca desistir”. Vá em frente, não se canse de lutar diariamente por tua redenção, somos preenchidos do amor redentor, amor que nos faz suportar o mais penoso dos problemas. Coragem, tenha fé, tenha esperança.


04 aulas de Gestão Estratégica.

1ª AULA
Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada. Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:
- Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?
O corvo responde:
- Claro, porque não?
O coelho senta no chão embaixo da árvore e relaxa. De repente uma raposa aparece e come o coelho.
Conclusão: Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar no topo.
2ª AULA
Na África todas as manhãs a zebra acorda sabendo que deverá conseguir correr mais do que o leão se quiser se manter viva.
Todas as manhãs o leão acorda sabendo que deverá correr mais que a zebra se não quiser morrer de fome.
Conclusão: Não faz diferença se você é zebra ou leão, quando o sol nascer você tem que começar a correr.
3ª AULA
Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e, na rua, encontram uma antiga lâmpada mágica.
Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio.
O gênio diz:
- Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!
- Eu primeiro, eu primeiro, grita um dos funcionários! Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida... Puff ! e ele foi.
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
- Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de comida e bebidas . Puff ! e ele se foi.
Agora você, diz o gênio para o gerente.
- Eu quero aqueles dois folgados de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião !
Conclusão: Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.
4ª  aula
Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas. No caminho, ao passar por
uma lagoa, ouve vozes femininas e acha que provavelmente algumas mulheres invadiram suas terras. 
Ao se aproximar lentamente,observa várias belas
garotas nuas se banhando na lagoa. Quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:
- Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.
O fazendeiro responde:
- Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!
Conclusão: A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente.
Portanto,
Antes de falar, escute...
Antes de escrever, pense...
Antes de gastar, ganhe...
Antes de julgar, espere...
Antes de desistir, tente...
“No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é, e outras, que vão te odiar pelo mesmo motivo.”

Página em construção, peridiodicamente novos textos. Caso queira envie sua mensagem que postaremos aqui. Obrigado.

Mais...

Fofura